25 de fevereiro de 2011

A PARTE CHATA...

Ontem foi um dia ruim aqui em casa. Na verdade não o dia todo. O dia estava bom, tudo ocorreu normalmente, o David me fez companhia na loja de artigos para festa para comprarmos as coisas da festinha da minha irmãzinha adotiva de 4 anos. Foi uma festa ele perambulando pelos temas da loja e querendo alcançar o banner gigante do Relâmpago Mcqueen e tal...
Aí depois de ele brincar exaustivamente de bola, e agora ele joga bola por horas sem parar, voltou preto L I T E R A L M E N T E. Suado. Precisando chamar o esquadrão da limpeza. Eis que começou a lenga. Vamos tomar banho! E ele NÃO! Depois de ouvir uns 77 nãos e o menino "berrando que não queria tomar banho" ele foi para o banho a força. E não parava de chorar, ou melhor gritar.
A coisa que mais me tira do sério na vida é ver choro ininterrúpto. E mais importante de tudo: sem motivo. Aquele choro de manha e birra que não tem lágrima mas que tem muito som? então, esse eu detesto.
Eu sou super conversa. E sempre tento ficar explicando o inexplicável para o David. Mas é claro que ás vezes ele nem tá ouvindo o que eu estou falando. E isso me deixa super nervous...
São momentos tão chatos de ser mãe, tão difíceis....
Uma mistura de tentar controlar a situação para seu filho não virar um mal-educado-que chora por tudo... ou de tentar modificar a situação para que ele se distraia com alguma coisa e esqueça porque está reclamando que vai pro banho.....
Pra mim é super difícil viver essas situações birrentas porque eu vejo aquele menininho que ontem mesmo era um bebê tão bonzinho que nem chorar chorava.... e depois aquele micro menino que andava cambaleando por aí distribuindo seu sorrisão para todos os lados, incapaz de fazer um desaforo... ou uma manha...
e aí vejo hoje essa pessoinha, cheia de vontades e opinião própria, querendo conquistar o mundinho dele aqui em casa, querendo passar por cima da vontade da mãe dele que sabe o que é melhor pra ele... é difícil ver isso. Sofro e choro.
Meu marido me fala que sou muito dramática. Que ele é criança e criança faz birra de vez em quando. Que nosso filhote é super bonzinho e a cada 4 meses apronta uma dessas. Tem sido assim, é verdade. Mas cada uma dessas é um desgaste, fico super deprê de ter que ser mais linha dura com ele, e de ter que ouvir o que ouvi ontem:
"eu não quero ficar com você". Dói viu, dói muito.
Ainda mais de alguém que eu falo que amo todos os dias e que olha pra mim tão deliciosamente toda noite e me fala: "boa noite mãe, te amo". De um menino tão afetivo e amado como ele.
É claro que a louca aqui não quer dizer que o criatura de 2 anos e quase 10 meses tem consciência plena do que está fazendo. Eu sei que ele está crescendo, se desenvolvendo e que ás vezes fica difícil lidar com as frustrações dele e com a falta de controle dele em relação as situações. E que ele é absolutamente normal por fazer isso e vivenciar isso. Mas é difícil ver minha cria sendo possuída por uma nuvem negra e transformando um momento não quero tomar banho em uma "tormenta".
E aí maternas do mundo, será que todo menino odeia tomar banho desde cedo? E será que as birras nos acompanham até 4 anos? Aiaiaiaiaiaiaiaiiaiaiaiaiaiaiai, help!
beijos de mãe que padece no paraíso....

16 comentários:

Chris Ferreira disse...

Oi Fê,
essas birras são difíceis mesmo. Brabeira. Mas passa. Là em casa não durou até os 4 anos não. Mas essa fase por volta dos 3 anos foi o auge da birra.
Haja paciência.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Alessandra Pilar disse...

Oi Fê, nossos filhotes tem quase a mesma idade então sei de carteirinha o que é isso!
Menina, tenho passado um dobrado com o Chico. Ele é turrão e quando cisma que não quer fazer uma coisa, é fogo viu? E a gente pra não passar por louca e deixar que eles cresçam sem limites tem que se impor sim. Outro dia eu mandei ele guardar os brinquedos e ele falou: Não, você guarda. Daí foi briga e choradeira de soluçar, mas eu fiz ele guardar. Pq se a gente deixa eles aprendem nosso ponto fraco e daí, um abraço!
Bom, pensando nisso fui buscar ajuda profissional e comprei o livro do Içami Tiba "Quem Ama, Educa!". Maravilhoso. To devorando! Dá dicas fantásticas de educação para os filhos dessa nova geração que cresce tão independente e achando que pode tudo. Se não leu ainda, fica a dica! Muito bom.

E amiga, força aí! Que acho que a fase está só no início! hehe.
bjinhos
Ale

Anna Gameleira disse...

oi Fê querida! Isto faz parte mesmo!!! Mas você tem razão, é um sofrimento para nós, mães, sim! O meu mais velho tem 4 anos e de vez em quando (quase sempre) apronta essa gracinha na hora do banho, meu Deus! Parece que estamos torturando o menino! O mais novo de 1 ano ainda não se rebelou! Mas sei que vem coisa por aí! 2 meninos... Haja energia!!!
beijo de mãe solidária!

Carol Garcia disse...

fefê querida...
a hora do banho aqui em casa é resumida por duas lutas.
Uma pra colocar a cria no banho e outra ra conseguir tirá-lo da banheira, chuveiro, seja lá o catso de lugar que tenha água, sabão e brinquedos.
o ó da birra.
o ó da malcriação.
e banho tem que se dar TODO DIA, e dependendo do dia, umas 3 ou 4 ou 10 vezes (lê-se desfralde).
mas é assim, eu apelo pros brinquedos, distraio, mas se perco a paciência dou umas duras. me mato de culpa depois, mas não deixo barato.
força fefê, amanhã é um novo dia.
bjo bjo bjo

Camila disse...

Parte chata?? Põe chato nisso! Tenho super paciência, tbem sou da conversa, do acolhimento e tal, mas choro sem parar e sem motivo, não aguento, não. Qdo a gente tem 3 filhos, até facilita um pouco, pq é mais fácil dá uma "ignorada" e ir fazer outra coisa com algum outro filho, entende?? O birrentinho para logo e tbem quer participar da brincadeira, por ex. Daí, antes de entrar na parte fun, dou uma conversada e pronto. Até resolve, mas birra é birra, coisa recorrente, cíclica e beeeeem chata!!
Bjos,
Camila
http://mamaetaocupada.blogspot.com/

Luciana disse...

Fê querida, sou super solidária à você. Pois então parece que ontem foi um dia negro pra nós duas, mães de dois menininhos geralmente bonzinhos e que decidiram se rebelar. Mas o que eu tenho aprendido na escolinha onde estamos levando o Nic é que nessas crises, o quanto menos a gente fala, melhor. O negócio é agir - levar pro banho sem muita explicação, tirar o brinquedo e entregar pra outra criança que estava brincando, tirar o menino do cenario, etc. E depois, com ambos animos acalmados, vem a conversa.

Eu tambem tenho super problema com o choro continuo. É irritante demais, não é? Aqui, felizmente ainda não temos problemas na hora do banho, mas temos tido pra comer, e as vezes pra ir pra cama. Bizarramente tem ajudado chamar ele pra me ajudar com qualquer coisa. Ele tem gostado tanto de ajudar que parece que dá um clique nele e ele para de chorar e vem. Agora peço ele pra me ajudar com tudo - abrir o chuveiro, arrumar a cama pra dormir, por a mesa pra comer, etc.

Mas tem dia que nos escapa mesmo... E assim como temos nossos dias ruins, acho que eles também têm, não é? E não tem como não aceitar o fato de que eles são individuos com vontades proprias. Temos que aprender a lidar com isso desde já, minha amiga... Um pouco a cada dia, mesmo que a duras penas...

Mas espero que hoje o sol tenha voltado a brilhar por ai. Aqui, está mais belo que nunca.

Beijos,

Lu

Karina disse...

Fezoca...lamento ser portadora de uma péssima notícia, as birras não acabam nunca... mesmo eles crescendo, vira e mexe aparece uma, meu Bezoco está com 12 anos, e mais parece um velha.
Sobre o banho...ele nessa idade adorava ficar cheiroso e limpinho, acho que isso durou até uns três anos, e hoje se eu não ficar atenta ele enforca numa boa, sem peso na consciência.
KKKKKK...ficou desanimada???? Fica não, acho que depois que eles arrumam a primeira namorada o negócio muda de figura...eles passam a brigar com elas e querem ficar limpinhos e cheirosos... para elas...e aí depois eles casam e a síndrome do Cascão retorna...mas aí o problema também é delas....rs...

Beijocas...adoro esses teus posts...

Já ia esquecendo de uma coisa...se pintar o segundinho, e for uma menininha...prepare-se...elas também fazem birras homéricas...
bj.

Nanci disse...

eu tenho tão pouca paciencia...até hj banho é um sufoco. sempre foi. água nunca foi bem aceita, a nao ser que seja pra molhar a sala toda. se perguntar pra alana se ela gosta de tomar banho ela diz: não, não gosto nada. é o fim...bjs e boa luta com o banho.

Sarah mãe do Bento disse...

Ai Fe, sei bem como é se sentir assim! Falei disso essa semana mesmo no blog (nesse post aqui: http://maedobento.blogspot.com/2011/02/as-birras-e-o-desabafo-de-uma-mae.html). Infelizmente não tem jeito, faz parte do crescimento e do amadurecimento deles. É difícil, cansativo... mas passa. Resta ter paciência e pulso firme!
beijos

Grace disse...

Oi, estou chegando hj por aqui!!
Ai, guria, a Clara tbem é bem birrenta...e o pior: ja tem 4 anos...srsrsrrs..mas é assim, esses escândalos sem motivo me tiram do sério, tbem! E parece que ela faz só pra me deixar louca, mesmo!!!
Volto mais vezes!
Um beijão

Liten disse...

OIe..acho que não tem jeito as birras...a minha de 11 meses faz...e eu as vezes nem sei como lidar!

Vim te convidar para um sorteio chiquérrimo http://vestidoderodar.blogspot.com/2011/02/sorteio-eu-quero-saia-da-sophia.html

Beijos
Talitah Sampaio

Thaís Rosa disse...

Putz, fê, solidariedade TOTAL.
Caio tem praticamente a mesma idade do David, e tenho passado por essa mesma sensação que você... Dureza, viu! Dia desses tive uma briga feia com o Caio (sem agressões físicas, mas psicologicamente fiquei acabada), até comecei a escrever sobre isso, mas não consegui terminar... A hora do banho é uma. Teve a fase de querer escolher a camiseta, e não gostar de nenhuma. Cada hora uma coisa, eles estão testando os limites, descobrindo o espaço deles, mas é difícil pra nós. Ainda mais porque parece que a mãe é o alvo, né? Com os pais, tudo se resolve mais fácil...
Força na peruca aí, se eu me animar a escrever sobre o assunto te aviso aqui, pra trocarmos mais figurinhas...
beijo

Coisas de mãe disse...

Ai Fer, que chato, ne? A Luiza anda insuportavelzinha, desde que ficou doente , há 10 dias. Irreconhecivel, chaterrima. As vezes tenho muuuuuita paciencia, mas nem sempre.

Tomara que seja só uma fasezinha ne? Que semana que vem ele nem lembre que fez manha para tomar banho... e mesmo que demore um pouco mais... vai por mim, uma hora passa! :)

beijo

Bianca disse...

ô lindinha, é punk esta fase das birras. A Luana era fogo, como disse a Carol, era uma briga para entrar no banho e outra em igual proporção para tirar do banho. Até que ela fez 4 anos, eu dei uns gritos bem didáticos, rs, e ela passou a tomar banhos sem eu ter que mandar 20X. Sabe o que posso te dizer? Seu filhote é igual a todos os outros, e essa fase passa, amém! Beijos e força na peruca! rsrs

Ana disse...

A fase do cascão é assim mesmo.
E como conversar se eles gritam tanto né?
O jeito é tenta abstrair, pegar pelo braço e enfiar no chuveiro.
Conversa só quando tiver calminho mesmo.
É não se abata. Esse "não quero ficar com vc" é outro tipo de arma que eles usam. A chantagem emocional para te dobrar. Kkkk
Mas se sente vontade de chorar bota para fora. Depois a gente ajeita os cabelos, levanta os peitos e vamos a luta! Rs
Tá rolando um sorteio no Balde: http://baldedeareia.blogspot.com/2011/02/sorteio.html
Beijos!

Vanessa Ribeiro disse...

Fê, tem selinho pra vc lá no blog. Espero que faça vc se sentir melhor linda :-)

Beijos
Van
ps viajo amanha viu?

www.coisasminhas.com